07 de Junho de 2020

Maquiador: Como produzir o seu curso online

Independente do assunto ou público que você decidir ensinar, que você chegue no final do dia sentindo que deu o melhor de si. É muita ralação, muito trabalho…

Sim, os tempos estão mudando e os maquiadores (assim como quase todos os outros profissionais) estão tendo cada vez mais que se reinventar. 

A internet está aí para todos e esse movimento de quarentena global, que obrigou muitos eventos serem cancelados e as pessoas passarem muito tempo em casa, escancarou de vez as inúmeras possibilidades de trabalhar, ensinar e aprender à distância. 

E em algum momento pode passar pela sua cabeça: “Por que eu também não entro nessa onda e começo a ganhar dinheiro com meu próprio curso online?”

Então hoje estamos aqui para dar a nossa contribuição e quebrar os mitos sobre produzir um curso online.

E porque você deveria escutar isso da gente?

Primeiro porque a criação, produção e monetização com cursos online é parte fundamental da estratégia de negócios do Profissão Maquiador. Nós construímos do zero o nosso curso O Business da Maquiagem, desde de ter a ideia inicial, validar se era uma necessidade real, pesquisar mercado, organizar os conteúdos, produzir roteiros, gravar, editar, subir na plataforma de alunos, toda a parte de marketing, vendas e o suporte pós venda.

Então, cola na nossa que você passa de ano.

Estamos em um momento em que todo mundo está falando sobre ganhar dinheiro com a internet, e a produção e vendas de cursos online vem como o grande salvador da pátria, dando a impressão que rapidinho você vai gravar um conteúdo, botar pra vender e ficar “fazendo dinheiro enquanto você dorme”. E estamos aqui pra dizer que não é bem assim. 

Veja bem, nós super incentivamos que você crie sim seu curso online caso você tenha os motivos justos para isso - tem algo relevante pra ensinar, gosta de compartilhar seu conhecimento, quer ajudar alguém com o que você sabe - e está disposta a trabalhar muito. Sim, produzir e ganhar dinheiro com seu curso online envolve muito trabalho. 

Não estamos aqui pra jogar um balde de água fria na sua ideia milionária, mas também não vamos vir aqui pra mentir pra você. Como dizem os antigos, sucesso só vem antes de trabalho no dicionário. Então vamos lá, agora que você já sabe que não vamos ensinar o caminho mágico, acompanhe os passos que consideramos fundamentais para criar um curso online de sucesso. 


1. O que eu tenho para ensinar?

Descubra no que você é boa o suficiente pra cobrar pra ensinar
undefinedTudo bem, sabemos que é muito atraente a ideia de trabalhar de casa, sentadinha na frente do seu computador e ver o saldo da sua conta crescer diariamente. Mas pra isso ser possível, você precisará ser muito útil pra alguém. De preferência, para muitas e muitas pessoas. 


Então a pergunta que não quer calar é: 

O que você sabe ensinar? 

De verdade.

Qual problema você sabe resolver com maestria?

No que você é tão boa que alguém pegaria parte do suado dinheiro e entregaria na sua mão?

Você pode começar pegando papel e caneta e fazer uma lista de tudo o que sabe fazer. Não precisa ser só o que você faz profissionalmente. Pode ser hobbies ou coisas que simplesmente você sabe que faz bem. 

  • Bordar

  • Cozinhar

  • Organizar os armários

  • Estudar pra passar numa prova

  • Fazer cosméticos naturais

  • Produzir velas 

  • Plantar uma horta

Praticamente todo saber pode ser compartilhado e monetizado, desde que tenha alguém disposto a pagar para aprender aquilo. 

E agora no campo profissional, no que você é boa?

Você se sente preparada de ensinar outros profissionais?

Ou conseguiria dar aulas para iniciantes, que não sabe nada de maquiagem?

Comece a desenhar e escolher...

Assunto: sobre o que vou ensinar

Tema: qual recorte desse assunto vou ensinar 

Nicho: pra quem vou ensinar

Abordagem: Como vou ensinar 

Ter clareza sobre esse pontos é fundamental para que todos os outros passos faça sentido. Afinal, se nem você souber o que e pra quem ensina, vai ser difícil encontrar e convencer outros a comprarem a sua ideia. 

Quando você definir sua ideia, por exemplo:

“Vou ensinar passo a passo de maquiagens do dia a dia para profissionais que têm pouco tempo em vídeos aulas de 5 a 10 minutos.

Passo a passo de maquiagem = assunto 

Do dia a dia =  tema

Para profissionais que têm pouco tempo = nicho

Em vídeos aulas de 5 a 10 minutos = abordagem


2. Pra quem vou vender?

Quem está disposto a pagar pelo meu conhecimento

Assim que você definiu seu assunto, tema, nicho e abordagem a próxima pergunta que você deve se fazer é: 

“Tem gente disposta a pagar por isso?”

Por que? 

Qual é o seu diferencial?

Porque tutoriais na internet não resolveria o problema dessa pessoa? 

Quando você estiver muito segura nas suas respostas é a indicação que você está chegando em algum lugar interessante com a sua ideia.

Pra você descobrir se existe público para o seu produto, você pode pesquisar:

Com sua audiência

No google

Outras profissionais com produtos / assuntos similares ao seu

Por exemplo, no caso do O Business da Maquiagem é um assunto muito relevante, mas que ainda não tinha ninguém no mercado com uma proposta como a nossa. O assunto estava inserido em outros cursos de maquiagem, ou em cursos presenciais não desenvolvidos exclusivamente para maquiadores. Ao menos não em português. 

Mas isso não significa que não existia um mercado para o nosso produto. 

Existem cursos para necessidades mais óbvias e pesquisáveis: “curso de maquiagem online”.

E outros para necessidades que existem, mas que ninguém explorou ainda: “o business da maquiagem”. 

No primeiro caso, você não precisa fazer seu cliente entender que ele tem aquele problema, ou o que você vende… mas vai encontrar uma concorrência muito mais acirrada. Afinal, assim como você, outros enxergaram aquela oportunidade. Então precisará fazer um grande trabalho de posicionamento, para aparecer na frente do seu cliente e mostrar o seu diferencial. 

No segundo caso, você terá mais espaço no oceano… a concorrência não será tão grande, mas o seu trabalho será grande na parte da conscientização, de educar seu cliente antes mesmo dele se tornar o seu aluno. Aflorar aquela necessidade e mostrar o seu curso como a melhor forma de resolver aquele problema. 

E aqui não existe certo ou errado. 

Serão estratégias diferentes. 

E como escolher em qual investir?

Honestamente, essa escolha não deveria partir do:

“Ah, o que é melhor…”

“O que dá mais dinheiro…”

“O que é mais fácil…”

Mas sim da sua expertise. 

Do que você gosta. 

Do seu chamado de vida mesmo. 

Porque será tanto trabalho, que é melhor você investir em algo que te dá tesão. 

Afinal, muitas vezes escolhemos a maquiagem justamente deixando pra trás uma carreira “estável que dá dinheiro” pra fazer o que amamos, né?

Então pra que enfiar os pés pelas mãos a essa altura do campeonato?


3. Quem estou alcançando?

Crie a sua audiência para ter para quem oferecer seu produto

undefined

Quando você já tem clareza e validou a sua ideia será fundamental começar a procurar quem são essas pessoas que você identificou que pagariam pelo seu curso. E uma das melhores formas de fazer isso é criando uma audiência. 

A sua audiência são as pessoas que estão com você aprendendo e trocando sobre o assunto, ou temas relacionados ao seu curso. 

Elas validarão se a ideia que você teve é genial, se o problema que você está se propondo a resolver existe, se ninguém se conecta com ele, ou se ele está ali mas as pessoas estão convivendo com ele numa boa. Ou seja, não vão pagar pelo seu curso pra resolver uma coisa que não incomoda.

Construir uma audiência não significa só ter muitos seguidores, mas é você conhecer mais e mais quem são essas pessoas que você quer ajudar. Você parte de uma ideia inicial, mas é no dia a dia, na conversa, na troca que você vai conhecê-las cada vez melhor. Poderá ajustar seu produto e a forma como fala dele para vendê-lo. 


4. As pessoas sabem que eu sou boa nisso?

O seu conteúdo constrói a sua expertise sobre o assunto
undefined

E a construção de audiência anda lado a lado com a produção de conteúdos.


Hoje em dia somos bombardeadas de informações por todos os lados, por isso, para chamar atenção, você precisará ser relevante. 

Porque alguém gastaria 5 minutos no seu perfil ao invés de estar fazendo qualquer outra coisa? Ou estar fazendo nada? Já que a falta de ócio e descanso é um dos grandes males da nossa geração. 

E é o seu conteúdo que mostra para o mundo que você entende sobre o assunto que você está se propondo a vender algo. 

Por exemplo, nós temos um curso sobre O Business da Maquiagem, logo o nosso conteúdo é todo voltado a tratar sobre questões e desafios da vida de um maquiador profissional. Isso faz com que quem acompanha nossos conteúdos comprove que nós entendemos sobre O Business da Maquiagem. 

Imagine se a gente nunca tivesse aberto a boca pra falar sobre nenhum assunto relacionado à carreira de maquiador, daí um dia do nada a gente jogava a bomba: 

“Olha, você tem um problema muito sério na sua vida. As coisas não estão dando certo porque você está investindo 100% do seu tempo e energia em técnica de maquiagem. Quando deveria investir ao menos 50% na construção do seu negócio. Aqui nesse curso eu ensino como fazer isso. Compre-o e seja feliz.” 

Oi?

O que?

Quem é você?

Por que eu deveria acreditar que isso é verdade?

Como eu posso saber se: 

1 - eu realmente tenho esse problema?

2 - você é a melhor pessoa para resolvê-lo?

Essas são algumas das perguntas que o seu cliente potencial poderia se fazer… e acho que dá pra perceber que é uma forma bem ineficiente de tentar vender algo pra alguém. 

E é por isso que a produção de conteúdos é a sua grande aliada. É com ela que você vai mostrar para o mundo todo a sua expertise, vai realmente começar a ajudar e fazer a sua audiência ter os primeiros resultados e criar o desejo de comprar o seu produto para ter um resultado ainda melhor. 


5. Por onde começar?

Etapas da produção do seu curso online
undefined

Você pode já ter uma ideia clara de curso e até produzir todo o treinamento primeiro e depois partir para a construção da sua audiência. 

Ou pode fazer o caminho inverso, começar a produzir conteúdos, criar uma audiência e decidir o tema do seu curso a partir das necessidades do seu público. 

De novo, sem regras prontas… faça sua pesquisa e decida o que será melhor para você. Porque o curso em si demanda uma série de etapas para ser construído, daí não adianta a gente falar: “Faz o curso e depois cria a audiência”. Daí você passa meses preparando tudo e depois percebe que não era aquilo que gostaria de estar ensinado. 

Você leu meses e tomou um susto?

Pois é… só pra você ter uma ideia, pra criar o seu curso online você precisará de:


  • Ideia do curso

  • Título

  • Roteiros das aulas

  • Gravação das aulas

  • Edição, legendas, pesquisa de imagens, referências, músicas etc. 

  • Criação de material extra, apostilas

  • Criar conta numa plataforma de aulas

  • Subir curso na plataforma

  • Criação de página de vendas

  • Estratégia de marketing:

    • Criação de um evento de lançamento / vendas

    • Paginas de cadastro pra uma aula, e-book

    • Sequência de emails

    • Anúncios nas redes sociais

    • Design dos materiais de publicidade 

  • Abrir uma empresa

  • Contabilidade 

  • Pagar imposto

Se você é nossa aluna, sabe que nós usamos a Hotmart para vender e hospedar nosso curso. É uma plataforma fácil de usar e você só paga quando tem vendas, o que ajuda muito, principalmente no início que talvez você não terá tanto recurso pra investir no negócio. 


6. Sou boa professora?

Não basta saber fazer, precisa saber ensinar 
undefined

Ok, você chegou à conclusão: 

“Sou boa em X… vou ensinar a fazer X.”

Parece plausível e até lógico. Mas não é um caminho tão direto assim. Ser boa em uma coisa é muito diferente de saber ensinar aquela coisa. Fazer alguém assistir uma aula e aprender uma nova habilidade é quase uma mágica. Precisa de didática, paciência, dedicação. Uma aula de 10 minutos pode levar 10 horas de preparação. Até você entender qual é a melhor forma de sintetizar aquele conhecimento para seu aluno. 

Qual será a experiência da minha aluna?

Como eu vou transmitir esse conceito?

Isso que faz total sentido pra mim, será que ficará claro pra todos?

Você está começando do básico para o mais complexo?

Você já fez cursos online pra ter a experiência como aluna?

Está levando isso em consideração na hora de criar o seu?

Como fazer a pessoa se sentir motivada a completar os exercícios que você está propondo?

Quando você pensa em transmitir seu conhecimento pra alguém é fundamental se colocar na posição de servir. Não dá pra ter arrogância, se achar a melhor, ver todos os alunos da mesma forma, achar que todos chegam com os mesmos conhecimentos e experiências.

Aposto que você já teve aquele professor que dava pra ver que ele era muito muito bom no que fazia, mas péssimo em ensinar. Escolhia palavras difíceis, fazia um assunto complexo ficar ainda mais complexo, não tinha paixão, não era envolvente.

Se isso já era péssimo na escola, que a gente tinha obrigação de ir, e ao menos tinha o intervalo pra ir fofocar com as amigas, imagina num curso online, que você pagou pra fazer, sozinha, sem incentivo externo que te motive a completá-lo?

Talvez você já tenha dado algum tipo de aula ou curso presencial e pense que vai tirar de letra, afinal é só uma mudança de formato. Errado. É muito mais do que isso. É uma mudança em toda a forma de construir o conteúdo, entregá-lo, motivar os alunos, criar o senso de turma etc.

No curso online, você não tem a oportunidade de olhar nos olhos dos alunos e perceber se a aula está ficando muito pesada, se é hora de um break, mudar o tom de voz, fazer uma dinâmica de última hora pra dar uma animada. No curso online tudo isso deve ser previamente pensado, planejado e executado.

Seu aluno talvez vai construir aquele percurso com você 10 ou 20 minutos por dia. Vai dividir a atenção da sua aula com alguém da família perguntando onde está alguma coisa, filhos gritando, TV ligada… e você lá, falando, falando, falando… 

Seu objetivo deve ser transformar assuntos complexos em conteúdos digeríveis, simplificando a linguagem, dando exemplos que caibam na realidade de seus alunos e que alcancem o maior número de realidades possíveis. Você não tem como prever quem será o seu aluno, quais cursos terá feito antes de fazer o seu, onde estudou, quantos anos de experiência tem… claro, você pode nichar seu público fazendo um curso mais iniciante ou mais avançado… explicando pra quem seu curso é ou não é… mas mesmo assim as pessoas virão de realidades muito diferentes. 


7. Comece pequeno 

Evite perder meses de trabalho duro 
undefined

Pra testar sua habilidade e até vocação pra ensinar, você pode começar menor… criando um MVP ou Minimum Viable Product. 

Oi?

Em tradução direta seria um produto minimamente viável. Esse é um conceito muito utilizado em startups para comercializar uma primeira versão do produto como uma forma de validar o mercado antes de ter todo o trabalho homérico de produzir o produto final. 

Dessa forma, muitas vezes você consegue até mesmo financiar a produção do produto final com a receita produzida pelo MVP. Outra coisa é que pesquisas não são tão confiáveis.

Você pode perguntar pra sua audiência:

“Você compraria um curso assim?” 

E ela - seja pra te agradar, ou porque até pensam que comprariam - falam

“Siiiimmmmm”

Daí você passa meses totalmente dedicada a produzir aquele curso, afinal, “validou” que tem público. Daí quando lança, não tem uma venda sequer. Você ficará frustrada achando que está fazendo algo de errado. 

A melhor forma de perguntar se alguém compraria algo, é oferecendo o produto pra ela. Ao invés de passar por todas as etapas da construção de um curso só pra fazer um teste, você pode - por exemplo - fazer uma aula ao vivo. Cobra um valor simbólico pra separar quem realmente quer aprender (e realmente pagaria por aquilo - e quem quer só curiar… e use para validar sua ideia, a linguagem, o formato, sua didática. Se você curtiu ou não dar a aula. Que tipo de pergunta veio. Coletar feedbacks e quem sabe até os seus primeiros depoimentos.  

Outra coisa que é esse mercado (e o mundo, né?) é muito dinâmico. Não dá pra cair na ilusão de que você vai gravar seu curso uma vez e vai esquecer ele lá. As informações evoluem, você se especializa cada vez mais e vai querer passar sempre as informações mais atualizadas para seu aluno. Ou seja, regravar todo ou parte do seu curso será uma constante neste modelo de negócio. 



8. Visão de longo prazo

Se é fogo de palha, nem comece
undefined

Faça o que você pode fazer. Sem um produto bom, você não chegará muito longe. Independente do assunto ou público que você decidir ensinar, que você chegue no final do dia sentindo que deu o melhor de si. É muita ralação, muito trabalho… mental, operacional, estratégico… mas é possível. E se é o que você deseja fazer, será recompensador demais. 

Se alguém chegasse e falasse que a sua carreira de maquiadora até agora foi: “dinheiro fácil, sorte, uma coisa que qualquer pode fazer” você ia gostar? Eu acredito que não, porque só você sabe o tanto de empenho e dedicação que precisou colocar. Construir um curso online é a mesma coisa. Mas você se orgulhará demais do seu filhinho. 

Ah, e como um filho, pense como um investimento para o longo prazo. Como você viu, são inúmeras etapas, elas podem levar um tempo - principalmente se você for fazer tudo sozinha. E a solução não é desistir, mas entender que leva o tempo que leva… fazer uma coisa de cada vez, alinhar suas expectativas e continuar colocando seus bloquinhos um em cima do outro pra construir o seu sonho. 

Ao invés de pensar: 

“Ah, curso online é a onda do momento, tá todo mundo ganhando dinheiro com isso e eu também quero surfar essa onda.”

Pense no negócio que você quer construir. No legado que você quer deixar. Não se compare com os outros.

Pode ser que aquele outro profissional esteja construindo uma audiência faz anos e só agora está monetizando com cursos online. Ou a pessoa já ajudou a construir outros cursos nos bastidores e agora está fazendo o próprio. E também tem gente com equipe de 15 pessoas que faz parecer que só na sua casa não vêm as fadinhas durante a noite e deixa tudo pronto.

Você pode sonhar em ter mil alunos, pensar em tudo o que você poderia comprar e fazer com esse dinheiro, mas lembre-se que você está vendendo seu conhecimento…. Seus alunos terão dúvidas, vão querer a sua atenção e - especialmente no começo - se você não fizer um bom suporte de pós venda eles irão em todo tipo de site e fórum reclamar e você se queimará muito no mercado 


9. Mudança de mindset

Curso online não é quebra galho, é empreendimento
undefined

Produzir cursos online não é um emprego. 

É um modelo de negócios. 

E dentro desse modelo de negócios, existe muito trabalho. 

Você vai trocar receber ordens de um único chefe, para ser quem toma as decisões, cria e tem que dar conta de suas próprias demandas e tem seus clientes (alunos) que são quem paga pelo seu produto e exigirá receber no mínimo o que foi prometido. 

Existe essa imagem que criaram do inconsciente coletivo da pessoa com o laptop na praia, para dar a ideia de liberdade geográfica, de fazer seus horários e trabalhar de onde quiser. Mas cuidado, porque esse sonho pode se tornar realidade da pior forma, quando você se atola tanto de trabalho que trabalha dia e noite, dia de semana e fim de semana e até durante as férias. 

Serão muitas coisas novas que você deverá aprender para produzir um curso online do zero. No começo talvez você esteja fazendo tudo sozinha, então será a parte criativa, operacional, marketing, financeira, TI, professora, suporte ao alunos e a lista só aumenta. 

Aliás, produzir cursos online é um prato cheio para quem é multi-potencial. Quem ama novidade, desafios e estar constantemente aprendendo coisas novas. 

Quando você fala: “Nunca fiz isso antes” é com sentimento de pânico ou de excitação? Se for do time 1, comece a repensar a ideia de criar um curso online. Porque todo dia será dia  de aprender no mínimo uma coisa nova. 

Vem conferir o vídeo que fizemos explicando e dando algumas dicas de como produzir seu curso!



Clique aqui para conferir o vídeo!

E você, já tem o seu curso online?

Já dá algum tipo de aula?

Está pensando em criar seu curso?

Deixa aqui embaixo em qual fase está, quais são suas dúvidas e dificuldades, assim a nossa conversa pode continuar. 
Um beijo ;)

@profissao.maquiador