De 18 Maio 2020

Como recomeçar sua carreira como maquiador em outro país

Não vai ser só a sua carreira que vai ter que recomeçar, mas a sua vida em geral.

“Como começar a carreira de maquiador onde você não conhece ninguém?”

“Por onde (re-)começar a maquiar quando mudamos de país?”

“Como ser assistente de um maquiador no exterior?” 

Essas são algumas das perguntas que recebemos em nossas mídias sociais, por isso decidimos preparar este post pra você que está se planejando, ou tem sonho, de recomeçar a sua carreira em outro país.

Muitas das dicas também podem servir para quem está pensando em se mudar para outro estado ou até mesmo uma outra cidade onde ninguém conhece seu trabalho. 

Não se sei se você sabe, mas nós do Profissão Maquiador - Laura e Ana - passamos por isso, já que moramos fora do Brasil há 6 e 7 anos, respectivamente. E decidimos te contar tudo o que a gostaríamos de saber antes de ter vindo pra cá, pra fazer essa transição acontecer de forma mais fácil. 

1. Mudança de vida 

Fase de adaptação
undefined

Acho que pra começar, é interessante a gente te contar (caso ainda não tenha caído a ficha) que não vai ser só a sua carreira que vai ter que recomeçar, mas a sua vida em geral.

Por mais que você tenha se preparado (e é claro que o planejamento ajuda pra caramba), do dia pra noite você vai se ver num lugar novo, num outro fuso horário, numa outra língua, onde você não sabe como as coisas funcionam, precisa ficar fazendo conta pra entender quanto as coisas custam (pela conversão do câmbio), vai precisar resolver papelada burocrática em lugares que nem sabe que existem, e até uma visita à farmácia pode se tornar uma aventura. 

A gente não quer te assustar. Ao contrário, a gente quer que você fique consciente pra essa transição profunda que irá acontecer. Que é uma delícia, principalmente pra quem é aberta à mudanças. E também queremos diminuir essa cobrança interna, de que em poucos dias ou semanas, você já precisa estar na roda dos maquiadores gringos, com várias clientes, ganhando e esbanjando em euros (ou na moeda do país escolhido).

Ter essa calma, essa paciência e esse amor próprio é super importante e vai fazer com que você curta muito mais esse período. Você vai colecionar várias histórias, talvez alguns micos… mas essas primeiras semanas é um momento único que não volta atrás. 


2. Você não vai continuar, vai recomeçar

Ajuste suas expectativas para se inserir num mercado novoundefined

Um outro grande mito é que você continuar a sua carreira no exterior exatamente do ponto de onde parou no Brasil. Na verdade, você está indo para um mercado novo, onde tudo o que você conhece pode funcionar de uma maneira diferente: atendimento, preço, tendências, língua, referências etc.

Por isso, acreditamos que faça mais sentido pensar em um recomeço. É claro que você pode continuar contando seus anos de carreira, afinal, todo o conhecimento - seja de técnica ou de business - que você adquiriu, vai continuar te servindo. 

Acha que estamos exagerando?

  • Seus materiais (site, portfólio e redes sociais) precisam estar na língua do país. 

  • Será necessário descobrir quem é você na fila do pão, pra poder se posicionar corretamente, saber quanto cobrar etc. 

  • Você precisa entender onde suas futuras clientes consomem e se informam sobre maquiagem. 

  • Talvez você precise pagar algum seguro ou ter alguma autorização para praticar seu ofício de maquiador.



3. Visto faz diferença 

A permissão de como você está legal no país 
undefined

Outra coisa que gostaríamos que tivessem contado pra gente é que: “visto faz diferença sim!”. O tipo de permissão que você tem pra viver legalmente naquele país, afetará a sua vida no exterior.

Dependendo, você terá ou não acesso a algumas oportunidades de trabalho, renovar visto custa $, você precisa se programar por quanto tempo o visto dura, quantas vezes pode renovar, como funciona o processo, e o que vai fazer no momento que não tiver mais essa opção de renovação. 

Essa é uma preocupação real do imigrante. É a base da sua paz de espírito quando você mora fora do Brasil. Você pode ter dupla cidadania, visto de estudante, work-holiday visa, visto de trabalho etc. Cada um deles te dará alguns direitos e responsabilidades diferentes. 

Por exemplo, se você tem 6 meses de visto de estudante, em algum momento você vai precisar decidir se vai querer renovar, como vai fazer isso, e quanto vai te custar. 

Outra ponto prático, é que com um visto de estudante você precisará se dedicar ao curso que comprou (seja de línguas, uma faculdade etc.) e isso já reduz as horas disponíveis no seu dia para fazer outras coisas, trabalhar etc.

E uma parte do que você ganhar trabalhando (como maquiador ou não) você precisará economizar para pagar os custos (do curso e do próprio visto) para renovar seu visto, caso seja seu plano. 


4. Organize-se financeiramente

Se na sua zona de conforto faz diferença, no exterior é fundamental 
undefined

Ter as suas finanças em dia, já ter alguma clareza sobre o quanto você precisa ganhar e quanto vai gastar por mês, ter uma reserva para os primeiros meses etc. Tudo isso vai impactar diretamente em o quão rápido você vai conseguir se reposicionar mercado de maquiagem. 

Se você chega com o dinheiro contado, saiba que ele vai embora muito rápido nas suas primeiras despesas básicas que não tem muito como fugir: moradia, comida e transporte. E lembre-se que como você não conhece o lugar, talvez gaste mais no começo, já que não sabe onde ou o dia da semana onde tem ofertas no mercado, ou não se sente confiante pra caminhar e acaba gastando mais com transporte. 

E a grana apertada acaba te forçando a procurar um (sub)emprego, o que geralmente você encontra com certa facilidade e ajuda a pagar a contas. Achamos ótimo! É mais uma experiência do intercâmbio cultural e faz você aprender muito. Mas não dá pra negar que se você - por exemplo - estiver indo pra escola todo dia e trabalhando, vai sobrar ainda menos tempo pra você se dedicar à maquiagem. 

Por isso é fundamental você balancear suas expectativas entre o ideal e o que você pode começar a fazer desde agora: economizar uma grana, aprender a língua, pesquisar custo de vida onde você está indo etc. para alcançar seus objetivos. 

Pode ser que num primeiro momento a maquiagem fique num segundo plano na sua vida e na sua rotina. Talvez você tenha que traçar um plano de médio a longo prazo, e não tem problema nenhum. Mais importante do que a velocidade, é o seu ritmo e sua determinação em sua caminhada. Tenha clareza sobre seus objetivos. Se for: “Eu quero viver de maquiagem neste país!” você vai começar a fazer o que precisa ser feito paralelamente a todas demandas da sua nova vida. 


5. Gringo não lê legenda

Traduza os seus materiais
undefined

Uma coisa que pode agilizar o seu processo é já chegar no país novo com o seu material na língua local. Isso inclui o seu site, portfólio, redes sociais, plataforma de agendamento etc. 

Não se iluda, seu material em português não serve para atrair clientes de outras nacionalidades. Até porque, quem tem o inglês como língua nativa - por exemplo - já está acostumado a ter tudo mastigado. A gente está acostumado a ler legenda e ficar traduzindo conteúdos que achamos interessantes. Eles não. 

Isso também vale para já conseguir se comunicar e atender na língua do país. Sua cliente vai querer explicar as referências, a expectativa… e sentir que você não está entendendo nada pode gerar muito mais insegurança.

Nós fizemos dois vídeos no canal do Profissão Maquiador, um sobre vocabulário em inglês para maquiador
e outro sobre as partes dos rosto, que já podem ser um ótimo ponto de partida. 

A lógica é simples, se você continua fazendo tudo em português, você vai conversar e atrair um público que fala português. E não tem problema nenhum. Talvez o país onde você está indo fale português ou tenha uma comunidade grande de brasileiros e essa seja a sua estratégia. Ótimo! Tem vários profissionais que vivem no exterior, prestam serviços para comunidades brasileiras e estão muito bem, obrigada. 

Mas serão raras as pessoas que mesmo sem entender uma palavra digam: “Não entendi nada, nem sei quanto custa, mas é essa que eu quero.” Pra entender a experiência do cliente, basta você se imaginar a situação de ver duas propagandas sobre o mesmo serviço, uma em português e outra em grego, e pensar qual você escolheria.

Outro ponto importante é que se você está pensando em uma mudança mais permanente, aprender a língua é um ponto fundamental até para você se sentir mais pertencente naquela sociedade. Afinal, a TV, rádio, jornais, burocracias, serviços… serão todos na língua local. E se você não entender, como poderá participar ativamente daquela sociedade que agora faz parte da sua vida? 

Então não perde tempo e abre seu curso, app, livro de idiomas e bora estudar! Outra maneira bacana, é assim que chegar no país começar a escutar rádio ou assistir alguns programas da TV local, seguir as blogueiras e observar como as pessoas se comportam.


6. Abra-se para o novo

As coisas não serão como você conhece 
undefined

Pra entrar e conhecer de verdade uma nova cultura, você precisará se desapegar dos seus pré-conceitos. Tanto de tudo o que traz na bagagem sendo brasileira, quanto das ideias que fazemos sobre aquele outro país sem conhecê-lo de verdade. 

Por exemplo, se você for morar nos Estados Unidos, é bem provável que já tenha vários conceitos sobre o país, que foi formando ao longo da vida através de filmes, músicas, livros, noticiário… e chegar lá com esses conceitos já moldados em sua cabeça pode impedir que você viva a experiência de realmente conhecer e viver os valores e cultura daquela nação.

Uma coisa é fato, sendo um estrangeiro - principalmente no início - é super natural que você faça contatos e amizades com outros brasileiros, ou com outros imigrantes. E isso é ótimo! Afinal, é normal se unir e procurar o apoio de pessoas que estejam vivendo uma situação parecida com a nossa.

Pense o seguinte, no Brasil também existem comunidades de imigrantes, mas como estamos vivendo na nossa zona de conforto - nosso país, moeda, clima, língua, família - é mais provável que eles encontrem mais conforto e apoio (num primeiro momento) entre compatriotas ou outros imigrantes. 

Mas quando você tem um plano de médio a longo prazo de viver naquele lugar, ou até mesmo para ter uma experiência mais completa de intercâmbio, é legal que exista o interesse de conhecer e participar mais da comunidade do país onde você está. E pra isso nada melhor do que participar de grupos locais, fazer amizades, procurar dentro dos seus interesses uma forma de conhecer e trocar experiências. 

Solte-se do “mas no meu país é assim” ou “esse povo não entende isso”. Não é um jogo de certo e errado. É ok você pensar de outro jeito, ter crescido com alguns valores, mantê-los e entender que outras pessoas vivem pensando e agindo de forma diferente. Está tudo bem. 


7. Faça sua lição de casa

Pesquise sobre o universo da maquiagem lá
undefined

Comece a pesquisar quem são os maquiadores, cabeleireiros e outros profissionais de beleza do lugar onde você está indo. Leia revistas e blogs especializados. Pergunte para as pessoas que vivem no país o que eles lêem, como se informam sobre beleza, quem são as referências, como elas fazem pra aprender sobre maquiagem. 

Seja genuinamente curiosa. Tente pensar com a cabeça da sua cliente. Pesquise no Google termos de maquiagem e analise os resultados que aparecem. Comece a acompanhar o trabalho de outros profissionais. 

Isso vai começar a te dar um embasamento pra saber quantos os outros profissionais cobram, como eles atendem, qual linguagem usam para falar com a cliente, comportamento etc. 

Não estamos falando aqui pra você copiar outros profissionais. De forma alguma. Sem personalidade e autenticidade você não se sustenta no longo prazo. Mas você pode - e deve - adaptar a sua linguagem e comportamento de acordo com as necessidades da sua audiência. 

Para começar a guiar o seu posicionamento, comece também a fazer as seguintes perguntas (pra si própria, locais ou quem mora no país há algum tempo)

Onde são os lugares badalados?

As pessoas usam maquiagem?

Quem fez essa maquiagem?

Será que ela pagou? Quanto?

Quais são os eventos que as pessoas contratam o serviço de um maquiador?

Como as pessoas definem beleza neste país? 

Quando você começar a entender como as pessoas daquele país definem e lidam com beleza e maquiagem, você poderá começar a pensar em como a sua visão sobre esses assuntos se encaixam neste mercado.

Entender se existe uma saturação de profissionais que oferecem algo semelhante que você. 

Ou se na verdade há um buraco no mercado em que você pode se beneficiar


8. Brasuca com orgulho, sim senhor!

Encontre e valorize seus diferenciais
undefinedDepois de toda essa pesquisa e morando no lugar, é interessante começar a entender e analisar quais são os seus pontos fortes e fracos. Talvez outras profissionais já tenham um espaço próprio? Uma presença online grande?

Mas se você procurar verá que você também tem seus diferenciais. Todas nós temos. E ao invés de tentar competir com o ponto forte do outro, trabalhe os seus. Por exemplo, de uma forma geral nós brasileiras somos muito bem vistas em serviços relacionados à beleza.

Quando estamos no Brasil não temos muita noção, mas no exterior fica claro o cuidado extra que temos em relação ao atendimento, em cuidar dos detalhes, prestar um serviço de muita qualidade, ser simpática e se mostrar disponível. 

São coisas que a gente sempre pensou ser “o normal” ou “o mínimo”, mas que podem não ser a realidade geral do seu novo país. Por isso é tão importante se desapegar de todos os preconceitos que traz na sua bagagem pessoal.

Essas são atitudes ou habilidades que não te custam nada a mais e se bem trabalhadas podem te colocar em uma posição de destaque. 

Outra coisa, não sofra a síndrome do cachorro vira lata. Que neste caso pode se revelar com a ideia que você nunca vai poder cobrar tanto quanto ou até mais do que uma pessoa nativa do país, por exemplo. Conforme você for se estabelecendo, se especializando, investindo em sua carreira e crescendo, você deve olhar para quem é você como profissional dentro daquele mercado. E se você é a melhor no seu nicho, você pode se posicionar com o maior valor, sim. 

Por isso, batemos tanto na tecla da importância de ter uma estratégia sólida, e traçar um plano pra entender onde você está indo, se está progredindo e também quando chegou lá. E no nosso curso O Business da Maquiagem gente pega na mão das nossas alunas mesmo, pra ensinar cada conceito e habilidade que fazem parte dos outros 50% que não é técnica de maquiagem. O que ter permitirá construir e crescer o seu negócio bem sucedido de maquiagem, seja no Brasil ou em qualquer lugar do mundo. 

E no mais, se joga, gata! 

Não é fácil, mas se é o seu sonho, com certeza será muito recompensador. 

Prepare-se. Estude. E vá de peito aberto. 

Construa a sua rede de apoio. 

Lembre-se o quanto você caminhou pra chegar até aqui.

Conscientize-se que você trabalha tão bem - ou melhor - do que profissionais locais e merece o seu lugar ao sol. 

A gente tentou reunir aqui as dicas que gostaríamos de ter escutado antes de vir, mas a real é que cada uma vai viver uma experiência única. 

E por isso mesmo ela será tão mágica. 

Neste vídeo do Yt contamos um pouco mais sobre a nossa experiência!


Clique aqui para assistir!

E você, está planejando ou sonha em morar fora do Brasil?

Pra onde está pensando ir?

Conta aqui pra gente.
Beijos!
;-) 

@profissao.maquiador