20 de julho 2020

Dá para Mostrar seu Talento Postando só Foto de Maquiagem em Si Mesma?

Tenha sempre em mente que o objetivo final é ter uma imagem de qualidade, seja vídeo ou foto, que vai representar o seu trabalho.

Este é um tema que pode ser polêmico, mas queremos te chamar para o papo para refletir sobre isso. Muitas maquiadoras partem do princípio que para se mostrar como profissional, devem maquiar e divulgar fotos de sua makes em rostos diversos. 


Outras conseguem fama, muitos clientes e até entrar em outros nichos da maquiagem (como cursos, produtos próprios etc.) só maquiando o próprio rosto.


E muita gente se pergunta: “E aí, é maquiadora ou blogueira?”


Existem estratégias e estratégias. E não estamos aqui pra dizer o que é certo ou errado.

Mas e num momento como esse que mal podemos sair de casa, quem dirá ter várias clientes e modelos pra maquiar e divulgar nosso trabalho?

Deixamos de maquiar?

Começamos a nos auto maquiar e postar pra manter a prática e os conteúdos?


São perguntas pertinentes que podem estar rondando a cabeça de muito maquiador por aí. 

Por isso preparamos este post, pra trazer as particularidades de produzir conteúdos só maquiando o próprio rosto.


Se você já produziu conteúdo com modelo, sabe o quanto de trabalho que dá. Por que precisa achar a modelo, combinar se é pago ou parceria, marcar agenda, encontrar o espaço, trabalhar com diferentes modelos pra justamente trazer a beleza e especificidades de cada rosto. 


É um trabalhão, mas não dá pra negar que a estratégia de criar seus portfólios e conteúdos trabalhando com modelo de cara já passa uma cara mais profissional ao seu negócio de maquiagem. 


Por outro lado, também pode ser super válido fazer maquiagem em si mesma. E existem exemplos de muito sucesso com essa estratégia. 


1) Estão bem na foto

Quem está fazendo isso bem

undefined

Uma profissional que faz isso super bem é a Katie Jane Hughes (@katiejanehughes). 


Mas um ponto fundamental que a Katie nos ensina é que não só maquiagem. Pra postar automaquiagem como uma forma de mostrar o seu trabalho, você deve pensar todo o processo de forma profissional.

Planejar o look, o fundo, qual é a ideia, o que você quer transmitir. E usar seu rosto como a tela de um artista. Ou seja, não dá pro objetivo ser só você fazer o que sabe que vai te deixar
gatinha. 


Porque, de verdade essa é uma grande tentação quando a gente se maquia.

Você conhece seu rosto, seus produtos, você se maquia melhor que qualquer outra pessoa no mundo, você conhece seu rosto como ninguém e sabe o que funciona e o que não funciona.

Você também já se viu de outras formas, o que te favorece, o que te desfavorece e talvez até tenha se interessado por maquiagem como uma forma de se sentir melhor.

E a tendência é sempre fazer as coisas que te deixe bonita, boneca, maravilhosa e perfeita, no seu ponto de vista e gosto. 


Aí é que mora o perigo, porque Isso não é interessante  do ponto de vista profissional. Porque o objetivo deve ser mostrar todo o seu talento e repertório. E pode ter muita coisa que você sabe fazer muito bem, mas que não necessariamente façam você se sentir bonita do jeito que você gosta. 


Outro exemplo, é a brasuca Savana Sá (@savana.sa), ela em geral maquia modelo, mas desde o início da pandemia ela começou a fazer maquiagem em si mesma. Só que toda a produção é pensada, programada e tem cara de profissional.

Assim como seria com uma modelo. O discurso é profissional, os looks, o fundo, os acessórios no cabelo, todas as informações de irão compor a imagem tem um propósito e passa uma informação. 


O grande segredo de você conseguir mostrar o seu talento se maquiando é justamente mostrar que é um trabalho, que existe uma construção, que é profissional. E também lembrar que você está cumprindo o papel de maquiadora e da modelo, e deve agir como os dois. Bota o carão pra jogo! 


Vale a pena olhar como referência o trabalho da Celine Bernaerts (@celine_bernaerts) que faz umas makes muito loucas. Você nunca vai ver ela pagando de bonita, ela está sempre mostrando tudo o que ela sabe e indo além dos limites da técnica dela. 


Outra profissional incrível é a Erin Parsons (@erinparsonsmakeup). Ela é famosíssima,  muito boa, e no Instagram você consegue ver o quanto ela consegue transmitir o repertório dela enquanto ela maquia a si mesma.

Ela tem um portfólio gigantesco, só que quando começou a quarentena, como não dava pra sair pra trabalhar, ela começou a criar looks muito incríveis na cara dela. 


Só que ela não está tentando ser bonita, existe um desprendimento em nome da arte. E isso é algo que pode ser difícil para algumas pessoas.

Este pensamento de que o seu rosto é só uma tela, não é para você estar ali no seu melhor, no seu mais linda, no mais proporcional, no mais perfeita, mas para servir a sua criação como maquiadora. 



2) Não é só sobre maquiagem

O olhar para si como modelo 

undefined

Estamos batendo nessa tecla do desprendimento e não é à toa. Porque é difícil mesmo. Já existe a primeira dificuldade que é aparecer na câmera, que por si só já pode ser uma grande barreira. 


Mas aos poucos você acostuma, vai encontrando sua personalidade nos vídeos.

Um outro passo que é ser a modelo, criar coisas, sair totalmente da sua zona de conforto.

Nós sabemos que muitas de nós cresceu não se achando bonita, que seu rosto não é padrão, então o último lugar que você está confortável pode ser na frente de uma câmera.

E para fazer maquiagem em si mesma, você deve abraçar a tarefa de ser a modelo. No sentido de fazer pose. Se você trabalha com modelos, você sabe como que é, a modelo segura e faz crescer a sua maquiagem.

E se você no papel de modelo não se entregar para tirar o melhor daquela maquiagem, você não conseguirá mostrar o seu repertório.


Mas calma, que ninguém nasce sabendo e a prática aproxima da perfeição.

Não ache que vai virar a
Bunchen  na sua primeira tentativa. Mas a estratégia de mostrar o trabalho maquiando o próprio rosto pode funcionar pra qualquer profissional que estiver disposto a se trabalhar em todas essas facetas. 


Este é um trabalho que passa por muitas questões sutis como autoestima, sair da zona de conforto se expondo publicamente como no papel de modelo, abertura para desenvolver outras habilidades. 



3) Não troque os pés pelas mãos

Não querer ser modelo não te faz menos maquiadora

undefined

O que não pode acontecer é você questionar a sua capacidade como maquiadora só porque não curte ou não se sente confortável com a ideia de postar fotos da sua maquiagem no seu rosto. 


Pra dar um exemplo, seria mais ou menos a mesma coisa de falar:

“Cantor pode ser seu próprio empresário?”

Pode, ué. Olha aí a Anitta cantando, rebolando a raba e sendo a própria empresária e estrategista! Mas não é para todo mundo.

E não dá pra começar a falar: “Ah, mas ela não sabe gerenciar a própria carreira, então não deve ser uma boa cantora.”


São duas frentes totalmente diferentes e você precisa desenvolver habilidades em ambas. É possível? Claro que sim! É para todo mundo? Provavelmente não. Porque praticamente nada nessa vida é a resposta pra todo mundo, não é mesmo? 


Mas se você quer começar ou testar a fazer auto maquiagem como forma de explorar seus talentos e mostrar seu trabalho para o mundo, um bom ponto de partida seria se perguntar: “Como eu pensaria essa produção para uma modelo?” 


Porque no caso, a modelo existe. E ela é você. 


A sua maquiagem é o seu trabalho, e neste momento o seu rosto é a sua tela. Então pense profissionalmente: 

Qual será o tempo necessário pra preparar a produção?

Qual é a melhor luz e ângulo pra tirar uma foto babado? 

Qual fundo irei usar? 

Como a roupa, cabelo e acessórios compõem essa maquiagem? 


Tenha sempre em mente que o objetivo final é ter uma imagem de qualidade, seja vídeo ou foto, que vai representar o seu trabalho. Então você quer ter um cuidado especial, pra ter certeza que está fazendo e mostrando o seu melhor. 


Se este é o seu objetivo, ou se está vendo uma oportunidade para explorar essa estratégia ao menos neste momento: se joga!

Pesquise referências, vai ver quem está fazendo isso bem.

Analise cada imagem ou vídeo tentando perceber o que deu certo, como a pessoa fez.

Não pra copiar, mas pra começar a entender de enquadramento, de ritmo, de luz, de ângulo, de composição.

Quando você fala que algo tem cara de profissional quais são os elementos que faz você pensar assim?

Exercite o seu olhar crítico. Reúna os perfis de quem você se identifica, e comece a testar até onde você consegue e deseja ir.

E se depois de explorar, perceber que não é pra você e querer mudar de estratégia, está tudo bem também.  

Vem conferir o vídeo que preparamos sobre o assunto dessa semana!






Até a próxima semana!



Um beijo


@profissao.maquiador