11 Maio de 2020

Networking para maquiadores - objetivos e como fazer

Networking é a prática de colocar a cara no sol e construir relacionamentos.


Como fazer networking?

Como falar do seu trabalho para outros profissionais?

Como chamar fotógrafos para test shootings?

Esse pode ser um assunto novo para alguns, mas não se iluda, conhecer e praticar o networking é fundamental para todos os maquiadores. 

Pra começar é importante falar que o networking não é o começo, nem pode ser um fim em si mesmo. Ele é um meio, que estará dentro e amarrado por toda a sua estratégia como maquiador. 
“Mas nossa, vocês sempre estão falando sobre estratégia, estratégia, estratégia… por que?”

     1. Objetivos do networking

Amarre sua estratégia para ter resultados

undefined

Vamos lá, pense com a gente, do que adianta mandar 50 mensagens para profissionais de áreas e nichos diferentes, sem ter a mínima noção do porque você está fazendo aquilo? Esperando uma resposta, mas ao mesmo tempo com medo, porque se alguém responder, você não sabe qual é o próximo passo ou como usar esse contato a seu favor.

Networking é a prática de construir relacionamentos. É você colocar sua cara no sol e dizer: “Oi, eu sou a Fulana, esse aqui é meu trabalho” e explicar isso de uma forma que vá conectar e interessar o outro lado da conversa, afinal, o networking pode ter vários objetivos, como ser assistente, fazer parceria com fotógrafos, cabeleireiros, modelos, blogueiras, lojas, marcas, outros maquiadores e a lista não tem fim. 

Então entender que o networking é uma peça dentro de uma estratégia maior é fundamental. Então não é atoa que no nosso curso O Business da Maquiagem, a gente logo no começo propõe um exercício que se chama Road Map que ajuda nossas alunas a delimitarem e terem clareza sobre seus objetivos de carreira e business. 

Você precisa saber responder algumas perguntas básicas como:

  • Quem você é como maquiadora?

  • Quais são seus objetivos de carreira?

Porque são esses objetivos que irão influenciar diretamente em quem eu vou colocar a minha energia para criar e desenvolver contatos durante a minha carreira. 

Afinal, o networking (ou rede de contatos) de quem quer ser a melhor maquiadora em maquiagem social em Limeira, serão muito diferentes de quem quer entrar e se destacar no mercado de publicidade a nível Brasil.

Percebe a diferença?

As pessoas com quem você vai se conectar, o que vai falar nas mensagens e o objetivo em si serão totalmente diferentes. Por isso não pule essa etapa de definir seu
Road Map, ou “pra onde você está indo”, essa clareza faz com que você economize muito tempo em energia, investindo em contatos que não vão te levar ao seu objetivo. 

No curso a gente destrincha o passo a passo desde como desenvolver essa clareza de objetivos até  os modelos de mensagens do networking, mas você pode baixar o Mapa de Avaliação de Carreira que é um material 100% grátis que desenvolvemos que te dá um norte. Com o teste do Círculo Cromático de Habilidades você vai entender onde está neste momento em sua carreira e quais habilidades deve desenvolver e onde colocar sua energia para chegar nas próximas fases.


     2. Quando fazer networking

Timing, timing, timing
undefined

Uma profissional de sucesso faz networking a vida inteira. Fato. 

Mas períodos de baixa são ideais para investir em networking. Por exemplo, se você trabalha com noivas e quer parceria com um fotógrafo e cabeleireiro especializados em casamento para fazer photoshooting e criar seu portfólio dessa área, entrar em contato “do nada” nos meses mais cheios do ano, pode ser um tiro no pé.

Ao mesmo tempo que nesses meses, durante os
jobs que você terá a chance de conhecer muita gente bacana, começar uma conversa e colocar no plano (olha aí a estratégia, minha gente!) de desenvolver mais nos meses de baixa. Quando todos estarão com as agendas mais tranquilas e poderão focar em outras coisas. 

Um dos maiores desafios do networking é ser notada. Você entra em contato com alguém porque já está observando aquela pessoa, já admira o trabalho dela e por isso que criar essa conexão, mas aí que vem a dúvida: 

“Como fazer aquela pessoa que eu admiro me notar? Saber que eu existo?”

“Como fazer para ela me responder?”

E ser estratégico quanto ao momento que você entra em contato pode fazer toda a diferença. 


     3. Como fazer networking

Comece pelo básico
undefined

Você não precisa ter planos mirabolantes. Pode começar a desenvolver o músculo do networking na realidade que está mais perto de você. 

Pra dar um exemplo simples, você pode estar organizando as fotos de noivas e perceber alguma noiva que não te mandou as fotos. 

Você pode pensar: “Nossa, que pena. Ela ficou tão linda. Seria ótimo para entrar no meu portfólio e divulgar no insta…”  e desistir. 

Ou, você pode caçar nos seus contatos (se já tiver espertinha) ou no Google/insta o nome do fotógrafo que fez as fotos do casamento e entrar em contato com ele, se apresentar, relembrar o dia que trabalharam juntos, elogiar seu trabalho e mencionar que não tem as fotos do evento. 

Pronto, você já está criando uma relação. Vê que não é esse bicho de sete cabeças? 

No nosso mercado, e um indicando o outro o tempo todo. Quando a gente começa parece um universo muito grande, mas com o tempo você percebe que “o mundo é muito pequeno”. Esse fotógrafo provavelmente estará em um outro evento com você no futuro. Um favor que ele fez pra você hoje, você poderá retribuir mais pra frente. 

Então você precisa fazer a sua parte para que os outros profissionais te conheçam, saibam quem você é e lembrem-se do seu nome e do seu trabalho na hora de fazer uma indicação, por exemplo. 

Alguns desses profissionais podem até se tornar seus amigos e não tem problema nenhum. Mas vale lembrar que o objetivo do networking não é fazer amigos. Pode acontecer, mas leve as conversas de modo profissional e não abuse da “camaradagem”, dando mancadas ou não honrando compromissos assumidos.  

Como mencionado acima, uma mensagem de networking sempre deve conter algum teor de admiração e elogio. E essa admiração deve ser verdadeira. Afinal, não faz sentido nenhum querer se associar de qualquer maneira a um profissional que você não admira o trabalho, o estilo ou posicionamento. Seria uma perda de tempo para as duas partes e - dependendo do caso - um risco de você se queimar com o seu público. 

E vamos combinar, pense na situação  inversa, é muito bacana quando alguém entra em contato e diz que admira o nosso trabalho. Não queremos questionar e pensar se é verdade ou não. Normal, né? Somos humanas e temos ego, minha gente! Então não guarde para si bons comentários e elogie sendo verdadeira sobre o que você acha legal no trabalho do outro profissional. 

Outra coisa é: seja você. Não tente passar uma impressão super elaborada ou contar lorotas que você nunca fez. Olhe pra você e pra sua carreira e aprenda a trabalhar a história da sua jornada. Nunca inventar uma. São coisas diferentes, e como dissemos antes, meio que todo mundo se conhece nesse ramo. Então pra que se sujar por tão pouco, né? 


     4. Como chamar atenção da outra parte
Mostre a oportunidade de ganha-ganha 

undefined

Uma coisa fundamental para ter na cabeça antes de sair mandando mensagens para profissionais a torto e a direita é que ninguém está interessado no seu trabalho e o quanto você é foda. 

Pode parecer uma dura realidade, mas é a verdade. Todo mundo - inclusive os profissionais que você vai contatar - só está interessado em como você pode ser interessante pra ela. Por isso você deve fazer a sua lição de casa e mostrar na sua mensagem como essa parceria (seja qual for) será uma proposta interessante pra ela.

Diga, por exemplo, que a parceria seria muito legal, porque a sua maquiagem pode valorizar ainda mais a fotografia dela - da mesma forma que uma bela fotografia vai valorizar sua maquiagem - e com isso, vocês duas poderiam usar as fotos em seus portfólios. Pronto: você está mostrando que ela também tem a ganhar com a sua proposta.

Focar nessa troca levará seu networking para o próximo nível. 

Não seja sem noção. Existe uma linha tênue entre ser cara de pau e ser chata ou inconveniente. E isso pode acontecer quando você não pesquisa sobre o profissional e manda uma mensagem impessoal, propondo uma parceria que não faz sentido nenhum para ele. 

Isso pode fazer com que o profissional se questione:

“Será que ela sabe quem eu sou?” (Falta de pesquisa)

“Que diabos ela está querendo com isso?” (Falta de estratégia) 

“Por que eu perdi meu tempo com esse email?” (Falta de respeito e noção)


     5. Onde fazer networking
O tom certo para cada mídia 

undefined

E aí você pode estar se perguntando, agora que já sei vários passos de como fazer networking, por onde começar? Onde encontrar os profissionais? No instagram? Por email? 

Nós somos defensoras do email. O email é mais organizado, é mais profissional e quem está no campo de batalha- trabalhando, agendando cliente, cuidando do seu business - usa email. Então o email é a mídia preferida na hora de fazer esse contato de networking. Porém, o instagram também pode ser uma ótima ferramenta para se fazer networking. 

Não existe certo e errado, existe você estar adequado para a ferramenta escolhida. Por isso, é importante você estudar o cenário. Você não será tão formal no inbox do insta como seria por email. Por outro lado, existe uma chance enorme da sua mensagem ficar perdida quando você tenta fazer networking por inbox com alguém que tem uma audiência enorme. 

Caso você tenha dificuldade de achar o contato da pessoa, ou não tiver resposta por email, vale a pena esperar um pouco e dar uma chamadinha pelo inbox, comentar alguma coisa e mencionar que mandou um email. 
 
     6. Como gerenciar expectativas 

Ninguém te deve nada
undefined

Vamos lá, mesmo que você seguir a risca todos os passos que falamos até aqui, muitos dos seus e-mails ou mensagens nunca serão lidos ou serão lidos e não respondidos, e você receberá muitos “nãos”. 

E está tudo bem. 

A atitude de fazer de fazer networking deve ser trabalhada independente da falta de resposta ou quantos “não”você receba. Esse é um ‘músculo’ que você deve desenvolver durante toda a sua carreira. Antes de você começar, você vai olhar qualquer tentativa de contato como um peso de 100kg, muito maior do que você dá conta.
Mas com a prática você irá desenvolver esse músculo e logo, logo aquele peso - ou aquele contato dos sonhos - não será mais tão assustador. 

Não se deprima, ofenda ou leve pro pessoal uma resposta negativa, ou a total ausência de resposta. 

Coloque-se no lugar da outra pessoa, ela pode estar muito atarefada. Quem não está, não é mesmo? Leu e esqueceu, ou não teve tempo mesmo de responder. Outras prioridades passaram na frente.

Por isso, vale a pena fazer um follow up depois de um tempo sem resposta. Claro, sempre sendo educada, retomando a conversa da mensagem anterior e sem nunca cobrar uma resposta. Ninguém te deve nada. 

Também é possível que, simplesmente, o profissional não tenha interesse naquela parceria, naquele momento. 

E com o tempo você percebe que receber “não” também é  legal. A pessoa leu sua mensagem, te notou, avaliou sua proposta e te respondeu. Uau! A partir dessa resposta você terá mais ferramentas para identificar como pode melhorar.

Foi a pessoa errada? O timing? A proposta? Como se aproximou? Agradeça - e muito - até quem te diz não. 

Uma forma de diminuir a frustração é ampliar seus horizontes. Não enfie na cabeça que “se não for a pessoa X, não vai rolar”.  Existem outros profissionais, com outros talentos, com outras visões… e você pode estar a uma mensagem de conhecer alguém e fazer uma parceria incrível. 

Outra coisa que você já sabe - mas não custa lembrar - é que quando você não tenta o “não” você já tem. Entrar em contato com alguém e propor algo é criar uma possibilidade de um “sim”. Nunca uma garantia. Porque vamos combinar, assim como você, ninguém é obrigado a nada. 

Ninguém chega muito longe sozinha. Você nunca vai conseguir - e nem precisa - saber fazer e ser boa em tudo.  

Lembre-se que você entrará em contato com outros seres humanos, pessoas que estão na luta, passando por perrengues, como você. As redes sociais faz a gente ver só a parte perfeita da vida dos outros, mas a gente sabe que apesar das fotos bonitas no perfil, todas nós temos os nossos bad hair days

Com tudo o que está acontecendo no mundo, teremos que rever nossas formas trocar valor, a palavra colaborativo deve ganhar uma importância imensa e - dentro deste novo cenário - o networking e a veia por onde esse sangue vai correr. 

Não estamos aqui pra te iludir - principalmente no começo - fazer networking dói. Você pensa: “Meu Deus, como é que vou ter coragem de fazer isso?”

Muitas vezes você não vai receber resposta. E outras tantas vezes vai receber um belo “não”. Já fique avistada. Mas os “sim” que você receber e a rede de contatos que você criar, irão abrir portas que você nem imaginou que existiam. É sério mesmo, o networking pode te levar a lugares e oportunidades que você nunca pensou que fosse possível.


     7. O que fazer depois
O resultado do networking

undefined

E importante lembrar que sua estratégia de networking deve englobar inclusive o “depois”. Não que você vai fazer uma parceria com alguem e depois sumir. Você pode ter projetos recorrentes e desenvolver relações que durem anos e te acompanhem durante toda a sua carreira. 

Mas você foi lá, fez o networking, deu certo, investiu (seu tempo, sua energia, $$ em produtos), participou do photoshooting e conseguiu fotos lindas do seu trabalho. Bacana! Estrelinha pra você. 

Mas e aí?

Você tem clareza onde vai usar essas fotos?

Como vai explorar essa oportunidade?

Como elas serão usadas dentro da sua estratégia para te levar para o próximo nível?

Não deixe que todo seu esforço fique perdido, acabe numa pasta no seu computador e não esteja amarrado aos seus objetivos maiores. 

Pra encerrar, não esqueça das 3 características que acreditamos serem fundamentais quando o assunto é networking: humildade, vulnerabilidade e troca. 

Humildade: você precisa ser humilde para admitir que não dá conta (e nem quer) fazer tudo sozinha. 

Vulnerabilidade: você vai se mostrar, vai pedir ajuda, pode receber um não, pode ser ignorada, então precisa trabalhar a sua vulnerabilidade.

Troca: parceria demanda troca, ganho dos dois lados. E - principalmente - se você é a ponta que está propondo a parceria, é fundamental que saiba alinhar as expectativas, deixando claro o papel e os ganhos das partes envolvidas. 

Nós preparamos um vídeo no Yt bem legar e soltamos o verbo, para você aproveitar este período de baixa e criar novos contatos e já deixar engatilhada várias parcerias!



E você, já faz networking?

Como faz?

Quais são as suas dificuldades?

A gente adora ler o que você tem a dizer. 

Abraço, 

Profissão Maquiador 

@profissao.maquiador